Regras de Subbuteo (PT)

note: You can now buy a set of quick rules in PORTUGUESE on our sister site (only £1.99):
subbuteo2012/rules

Regras do Jogo

Posse de Bola


1.1.     A equipa que possui a bola será denominada equipa atacante e a outra equipa defensora.

1.2.     Nenhuma figura poderá jogar a bola mais de três vezes consecutivas, a não ser que a bola toque noutra figura da mesma equipa.

1.3.     Apenas a figura jogada da equipa atacante pode entrar em contacto com a bola. Não são permitidas situações em que a bola jogada empurra uma figura da mesma equipa contra a bola.

A acontecer esta situação, a equipa defensora pode reclamar “BACK” e a bola mudará de posse.

 

 

Pontapé de saída

2.1.          No pontapé de saída, cada equipa deve ter pelo menos, três figuras a uma distância não superior a 90 mm da linha de meio campo. A equipa defensora não poderá ter figuras dentro do círculo central.

2.2.          As figuras devem estar espaçadas entre si pelo menos 25 mm, no pontapé de saída.

2.3.          A figura que executa o pontapé de saída, deve impulsionar a bola para o meio campo adversário, depois do que não poderá voltar a jogar a bola até que esta seja jogada por outra figura da mesma equipa.

2.4.          A equipa atacante continuará a jogar a bola até que:

2.4.1.    A figura falhe a bola;

2.4.2.    A bola seja interceptada por uma figura adversária parada;

2.4.3.    A bola saia do terreno de jogo;

2.4.4.    Seja cometida uma falta;

2.4.5.    Seja marcado um golo.

  

 Intercepção


3.1.          A última figura a interceptar (tocar) na bola é considerada na posse desta, desde que não seja uma figura defensora em movimento (ver Regra 4).

3.2.          Posse depois duma defesa do guarda-redes: Quando o guarda-redes faz uma defesa, em movimento ou parada, a posse da bola vai para a equipa defensora, já que o guarda-redes foi a ultima figura a tocar a bola.

3.3.          Se um remate à baliza for defendido pelo guarda-redes e depois a bola ressaltar para uma figura atacante, a equipa atacante ficará com a posse de bola e poderá mesmo marcar golo.

3.4.          Quando duas figuras de equipas diferentes tocam a bola ao mesmo tempo, a posse da bola é da equipa que detinha a bola nessa jogada. No entanto, depois da jogada, a bola pertence à equipa adversária já que terá tocado numa figura defensora.

 

    
Movimentos defensivos

4.1.          A equipa defensora poderá alternar movimentos defensivos, com as jogadas adversárias. Estes movimentos podem ser executados cada vez que a equipa atacante joga para a bola, mas a equipa atacante não necessita esperar por estes movimentos (ou seja, o movimento defensivo deve seguir-se imediatamente à ultima jogada atacante).

4.2.          Se, ao fazer um movimento defensivo, a equipa defensora toca a bola ou qualquer figura atacante, a equipa atacante poderá seguir jogo ou reclamar “BACK”.

Se reclamar “BACK”, as figuras e a bola serão recolocadas nas suas posições iniciais e p movimento defensivo será perdido.

 

NOTA: Se acontecer uma situação confusa que não imputável a qualquer das equipas, o árbitro recolocará as figuras e a bola nas posições anteriores e o jogo recomeçará desse ponto. A equipa atacante manterá a posse de bola.


 


Pontapé de Baliza

5.1.          Um pontapé de baliza é atribuído à equipa defensora quando a bola ultrapassa completamente a linha final, depois de ter sido tocada ou jogada por uma figura ou pelo guarda-redes da equipa atacante.

5.2.          O pontapé de baliza poderá ser forçado desde que as figuras atacantes e defensoras intervenientes e a bola estejam completamente dentro da zona de remate antes da jogada ser efectuada.

5.3.          No pontapé de baliza, cada jogador poderá recolocar (à mão) todas as suas figuras em qualquer zona do terreno de jogo.

5.4.          Um período razoável de tempo deve ser concedido para recolocar as figuras antes da marcação do pontapé de baliza. Não será permitido tentar retardar o jogo, caso em que o árbitro deverá ordenar o recomeço imediato do jogo.

5.5.          A bola deve sair da grande área na marcação do pontapé de baliza; caso contrário, este deve ser repetido.

5.6.          A bola poderá viajar para qualquer zona do campo.

5.7.          Se, directamente da marcação do pontapé de baliza, a bola entrar na baliza adversária, não é golo e será concedido um pontapé de à equipa defensora.

5.8.          O guarda-redes extra poderá marcar o pontapé de baliza, desde que o guarda-redes de cabo seja retirado dentro da baliza. Depois do pontapé de baliza, aplica-se a Regra 13.11.

5.9.          A figura que executou o pontapé de baliza não poderá voltar a jogar a bola até que seja tocada por outra figura.

 

  

 


Lançamento Lateral

6.1.          Um lançamento é concedido quando a bola ultrapassa completamente a linha lateral.

6.2.          O lançamento deve ser executado do ponto onde a bola ultrapassou a linha lateral.

6.3.          A equipa que beneficia do lançamento deve escolher uma figura para a sua execução. Depois, cada uma das equipas é autorizada a um movimento livre, prioridade para a equipa atacante. Não é permitido tocar noutra figura, própria ou adversária, durante esse movimento.

6.4.          A bola é colocada em cima da linha, metade de cada lado da linha, e a figura (incluindo a sua base) não poderá ultrapassar ou pisar qualquer parte da linha, antes, durante ou depois de jogar a bola. Se isso acontecer, o lançamento será considerado em falta a será atribuído ao adversário. Se, no momento, a figura que fez o lançamento bate na vedação antes de pisar a linha, não será considerado falta. A figura será colocada na linha, no ponto onde o lançamento foi executado e o jogo continua. Ver Regra 6.7.

6.5.          A figura que faz o lançamento não poderá voltar a jogar a bola até que esta seja tocada por outra figura.

6.6.          Depois do lançamento, a figura que executou deve ser colocada em cima da linha, no local do lançamento.

6.7.          Se o lançamento for mal executado, antes de qualquer outro procedimento, a figura “faltosa” será colocada dentro do campo, pelo árbitro, a 90 mm de distância da linha, frontalmente ao local do lançamento.

6.8.          FORÇAR UM LANÇAMENTO:

6.8.1.      O lançamento poderá ser forçado desde que a bola e as figuras defensora e atacante estejam completamente dentro do mesmo quarto de campo antes da jogada ser efectuada, e a bola atravesse a linha lateral dentro dos limites desse quarto de campo.

6.8.2.      Quando a bola ressalta no guarda-redes ou no seu cabo e sai pela linha lateral, o lançamento é atribuído à equipa adversária.

6.8.3.      O lançamento poderá ser forçado, quando de um remate à baliza, desde que a bola e a figura defensora estejam na zona de remate e a figura atacante no meio campo adversário.

6.9.             FORA DE JOGO NOS LANÇAMENTOS:

Quando o lançamento é efectuado e a bola pára, um movimento para uma posição em jogo, “automático”, pode ser pedido para a figura que executou o lançamento. Contrariamente à Regra 4, à equipa defensora não será permitido um movimento de marcação.

 


Pontapé de canto

7.1.          Um pontapé de canto é assinalado quando:

7.1.1      A equipa atacante joga a bola para fora, pela sua própria linha final.

7.1.2      A bola é “forçada” contra uma figura defensora, estando esta e a bola na zona de remate, e a figura atacante que jogou a bola no meio campo adversário, e a bola sai pela linha final. Se estas condições não forem satisfeitas, será marcado pontapé de baliza para a equipa defensora.

7.2.          Um golo pode ser marcado directamente da marcação de um canto.

7.3.          A bola deve ser colocada no quarto de círculo do lado onde a bola atravessou a linha final.

7.4.          A figura que marca o canto não poderá voltar a jogar a bola até que esta seja jogada por outra figura.

7.5.          A figura que irá que irá marcar o canto será colocada no local da marcação. Só depois, cada equipa é autorizada a três movimentos livres, com prioridade para a equipa atacante. Não é permitido tocar noutra figura, própria ou adversária, durante esses movimentos.

7.6.          A figura que vai executar o pontapé de canto pode vir de qualquer parte do campo.

7.7.          Na marcação de um canto, não poderá haver figuras defensoras dentro de um raio de 90mm da bola.

7.8.          FORA DE JOGO NOS CANTOS: quando o canto é marcado e a bola pára, um movimento para uma posição em jogo “automático”, pode ser pedido para a figura que marcou o canto: mas, contrariamente à Regra 4, à equipa defensora não será permitido um movimento de marcação à referida figura. Entretanto, pode ser feito um remate para golo enquanto a bola estiver em fora-de-jogo neste caso.

7.9.          Qualquer das mãos pode ser usada para marcar o canto e a jogada seguinte, possibilitando que a bola seja jogada em movimento.

              Qualquer bola atrasada pela linha final pela equipa defensora concede canto.

 


Marcação de Golos

8.1.          Antes de um remate à baliza, a bola deve estar completamente dentro da área de remate.

8.2.          A figura que remata à baliza de estar completamente dentro do meio campo adversário, considerando que a Regra 8.1 é respeitada

8.3.          Se a bola entra na baliza e a regra 8.1 não foi respeitada, é concedido um pontapé de baliza à equipa defensora.

8.4.          A bola deve ultrapassar completamente a linha de golo para que seja considerado golo.

8.5.          A figura deve ser jogada correctamente.

8.6.          A bola pode ser jogada em movimento para rematar à baliza.

8.7.          A equipa atacante não precisa de esperar que o guarda-redes esteja preparado.

8.8.          A equipa atacante não precisa de esperar pelos movimentos defensivos da equipa adversária para jogar.

8.9.          AUTO-GOLO:

8.9.1.      Qualquer bola atrasada pela equipa atacante para a sua baliza do seu próprio meio campo e que entra na baliza é considerado golo.

8.9.2.      Se a bola for atrasada do meio campo adversário e entrar na própria baliza é concedido um pontapé um pontapé de canto ao adversário

8.10.      Qualquer bola introduzida na baliza pelo guarda-redes, depois da bola estar parada, é considerado auto-golo.

8.11.      Qualquer bola que ressalte do guarda-redes ou dos potes de baliza adversária e entra na própria baliza, não é considerado golo, mas atribuído um pontapé de baliza.

 

 

 


Faltas e Livres

9.1.          Se uma figura atacante, ao ser jogada, toca numa figura defensora antes de tocar a bola, é considerado falta e um pontapé livre marcado no local da falta.

9.1.1.   Fora da área de remate, é livre indirecto.

9.1.2.   Dentro da área de remate, é livre directo.

9.1.3.   Na grande área, é grande penalidade.

9.2.          Para os livres directos e indirectos, a figura que marca o livre pode ser trazida de qualquer zona do campo. Depois, cada jogador é autorizado a dois movimentos livres, com prioridade, para a equipa atacante (veja também a Regra 9.1.2 e a Regra 10 para grandes penalidades).

9.3.          Se uma figura bate no poste de uma baliza, ressalta para dentro do campo e bate numa figura adversária antes de tocar a bola, não é concedida falta e o jogo prossegue normalmente.

9.4.          Se a mão de um jogador evitar que a bola entre na sua baliza e se o árbitro o considerar intencional, será golo.

9.5.          Se um jogador tocar a bola com a mão, será marcado um pontapé livre no local da falta.

9.5.1.      Fora da área de remate, é livre indirecto.

9.5.2.      Dentro da área de remate, é livre directo.

9.5.3.      Na grande área, é grande penalidade.

9.6.          Se o jogador obstruir o seu adversário, à sua volta da mesa, um pontapé livre será assinalado no local onde a bola se encontrava na altura da obstrução.

9.6.1.      Fora da área de remate, é livre indirecto.

9.6.2.      Dentro da área de remate, é livre directo.

9.6.3.      Na grande área é grande penalidade.

9.7.          Se um jogador coloca ambas as mãos dentro de campo. Será marcado um livre indirecto no local onde a bola se encontrava na altura da infracção. No entanto, o jogador pode assegurar o seu guarda-redes e jogar outra figura ao mesmo tempo.

9.8.          Se uma figura atacante é jogada para a bola (directamente) 4 vezes consecutivas, é marcado um livre indirecto no local de onde a figura foi jogada a 4ª vez.

9.9.          A punição do fora de jogo é um livre indirecto no local onde a figura se encontrava (veja Regra 11).

9.10.      Se a figura que marca o pontapé de saída tocar segunda vez na bola antes desta tocar outra figura, então será assinalado um livre indirecto no local onde se encontrava a figura “faltosa”. Esta regra também se aplica nos casos dos lançamentos laterais, pontapés e de canto, pontapés livres, pontapés de baliza ou grandes penalidades.

9.11.      Fora da área de remate é livre indirecto.

9.11.1.  Num pontapé livre não poderá haver figuras defensoras num raio de 90mm da bola.

9.11.2.  Num livre directo, a equipa defensora poderá colocar (à mão) uma barreira até 4 figuras, ou alternativamente, fazer os dois movimentos defensivos a que um pontapé livre dá direito. A equipa atacante tem prioridade para fazer estes movimentos de desmarcação.

9.12.      Uma figura deitada é considerada uma figura normal, para efeitos de posse de bola e faltas.

9.13.      Nos movimentos livres, no é permitido bater em qualquer figura própria ou adversária.

 


Grande Penalidade

10.1.      Na marcação de uma grande penalidade, a base do guarda-redes deve tocar a linha de golo. O cabo deve estar nivelado com o campo, e o guarda-redes não poderá movimentar-se até que a grande penalidade seja marcada. Será considerado golo se esta regra for infringida três vezes.

10.2.      O jogador que executa a grande penalidade, após colocar a figura que vai marcar a falta, deve afastar as mãos do campo até que o árbitro autorize a marcação. Depois disso, a grande penalidade deve ser marcada sem perdas de tempo.

10.3.      Todas as figuras, excepto o guarda-redes e a figura que executa a grande penalidade, devem estar fora da grande área e do respectivo arco. A grande penalidade será marcada da respectiva marca. Situada a 130mm da linha de golo.

10.4.      Depois da figura ter sido impelida para a bola e esta ter sido tocada, a não tenha havido qualquer infracção ás regras, a grande penalidade é considerada marcada e o jogo prossegue normalmente.

 


Fora-de-jogo

11.1.      Uma figura está em posição de fora de jogo se está perto da linha final adversária que a bola, com excepção dos seguintes casos:

11.1.1.     A figura está fora da área de remate; ou

11.1.2.     Existem pelo menos, duas figuras adversárias entre a referida figura e a linha final. Pelo menos a figura defensora, além do guarda-redes, deve estar dentro da área de remate para que a equipa defensora possa reclamar fora de jogo.

11.2.      Uma figura numa posição de fora-de-jogo (como na Regra 11.1) não o estará realmente até que a bola ultrapasse a última figura defensora (excluindo o guarda-redes). A figura estará em fora-de-jogo, mesmo que a bola não lhe tenha sido passada.

11.3.      Uma figura numa posição de fora de jogo não o estará realmente, se receber a bola directamente de uma jogada da equipa adversária, pois não houve um passe para a frente da sua própria equipa.

11.4.      Uma figura em posição de fora-de-jogo, pode ser jogada para a bola.

11.5.      Nenhuma figura está em posição de fora-de-jogo imediatamente a seguir à marcação de um pontapé de baliza, pontapé de canto ou lançamento lateral. Duas jogadas, incluindo a marcação dos referidos livres, têm que ser feitos antes que a figura possa ser considerada em fora-de-jogo.

11.6.      Uma figura numa posição fora-de-jogo poderá ser movimentada para um posição em jogo, em qualquer altura do jogo, depois do jogador pedir autorização do árbitro. As seguintes regras são aplicadas:

11.6.1        O jogador que faz pedido de autorização tem que estar na posse de bola.

11.6.2        A figura movimentada para uma posição em jogo não poderá tocar nenhuma figura adversária.

11.6.3        A figura não poderá tocar na bola.

11.6.4        O movimento deve seja tal que a figura viaje o mais paralelo possível à linha lateral.

11.6.5        A figura não poderá ultrapassar a linha de meio campo.

11.6.6        Apenas será autorizada uma tentativa para o movimento.

11.6.7        Apenas dois movimentos serão permitidos por cada jogada em posse de bola.

 

Qualquer infracção a estas regras resulta na perda do movimento e a figura (e a bola se for caso disso) regressa (m) à sua posição inicial.

 

11.7.      Por cada movimento “em jogo” feito pela equipa atacante a equipa defensora pode fazer um movimento “de marcação” para quadrar essa figura atacante. Este movimento “de marcação” não pode ser utilizado para quadrar qualquer outra figura atacante.

11.8.      Depois da marcação de um pontapé de canto ou lançamento lateral, a figura que marcou pode ser movimentada para uma posição em jogo imediatamente depois da marcação. Este movimento é conhecido por “movimento para posição em jogo automático”. As Regras 11.6.1 a 11.6.7 são aplicadas, A equipa defensora, contrariamente ás Regras 4 e 11.7, não tem direito a um movimento de marcação à referida figura.

 


Figuras fora de campo

12.1.      Uma figura pode sair do campo após ter sido jogada e regressar a este para tocar a bola, desde que não deixe o pano de jogo, toque na vedação ou em qualquer outro acessório. Se isto acontecer, a figura dever ser recolocada em cima da linha no ponto onde a atravessou pela 1ª vez e a posse da bola passa para a equipa adversária.

12.2.      Uma figura que, depois de tocar na bola sai do campo, poderá ser colocada sobre a linha no ponto onde a atravessou ou jogar de fora do campo, desde que não tenha saído do pano de jogo ou batido na vedação ou em qualquer outro acessório. Ver Regra 12.1.

12.3.      Uma figura que entre numa baliza, quer seja uma figura atacante ou defensora, deverá ser colocada sobre a linha final, fora da pequena área, mas junto a esta.

12.4.      Uma figura que saia do campo e que não esteja sujeita ás regras 12.1, 12.2 e 12.3, deve ser recolocada imediatamente sobre a linha no ponto onde a atravessou. Para figuras que ressaltem num poste, ver Regra 9.3;para figuras que executam lançamentos laterais, ver Regra 6.

 


O Guarda-redes

13.1.      O guarda-redes e o seu cabo são como um todo, e qualquer parte deste poderá defender um remate, introduzir uma bola na baliza, ou conceder um pontapé de canto ou um lançamento lateral.

13.2.      O guarda-redes deve estar sempre preparado durante o jogo. Nenhum obstáculo deverá ser levantado ao jogador atacante.

13.3.      Normalmente, não existem faltas sobre o guarda-redes, mas a equipa defensora poderá reclamar quando o seu guarda-redes estiver a ser ameaçado pela equipa atacante. Qualquer figura atacante que se encontra na área do guarda-redes estiver a ser ameaçado pela equipa atacante.

13.4.      Quando um jogador tenta recolocar o guarda-redes e a bola toca na sua mão, será marcada uma grande penalidade.

13.5.      Se o guarda-redes ou o seu cabo, tocam a bola fora da sua área, esteja ou não na posse da bola, será marcado uma grande penalidade.

13.6.      O guarda-redes não poderá ser agitado rápida e inopinamente, tanto no ar como no campo, nem poderá ser empurrado pelo cabo (estilo “bilhar”).

13.7.      O cabo do guarda-redes não poderá levantar a rede da baliza.

13.8.      O guarda-redes não poderá estar levantado da superfície do campo, antes de um remate à sua baliza.

13.9.      Antes de um remate, o guarda-redes não poderá ser inclinado mais de 45 graus.

13.10.  POSSE DE BOLA DEPOIS DE UMA DEFESA

Quando o guarda-redes faz uma defesa, a posse de bola passa para a equipa defensora já que o guarda-redes foi a ultima figura a tocar na bola.

13.11.  O GUARDA-REDES EXTRA:

13.11.1          O guarda-redes de cabo poderá ser substituído por um guarda-redes extra (ref.ª 61106 ou uma figura de outra equipa). Pode ser usado para executar pontapés de baliza e jogar a bola fora da área do guarda-redes. O guarda-redes extra deverá ser colocado em qualquer parte da área do guarda-redes e da área atrás desta, fora do campo, e daí ser jogado. O guarda-redes extra só +poder ser usado e daí ser jogado. O guarda-redes extra só pode ser usado pela equipa que tem a posse da bola.

13.11.2          Quando o guarda-redes extra é usado, o guarda-redes de cabo deve ser retirado da baliza ou puxado para o fundo desta.

13.11.3          Depois da marcação do pontapé de baliza, o guarda-redes extra deve ser retirado do jogo e substituído pelo guarda-redes de cabo. Caso contrário, será aplicada a Regra 13.11.5.

13.11.4          Uma vez dentro de campo, o guarda-redes extra fica sujeito ás regras que regem as outras figuras. Se numa tentativa de afastar a bola (mas excluindo o pontapé de baliza - veja Regra13.11.3), a equipa que usa o guarda-redes extra perde aposse de bola, então o guarda-redes de cabo não poderá ser recolocado na baliza até que a equipa atacante tenha utilizado um máximo de 3 jogadas para a bola com a mesma figura. Durante este período, a equipa atacante poderá rematar para a baliza deserta. Após completar a 3.ª jogada ou quando outra figura atacante jogar a bola, a equipa atacante deve esperar que o guarda-redes de cabo da equipa defensora retome o seu lugar na baliza, antes do jogo prosseguir e antes de rematar à baliza. Se durante as referidas 3 jogadas, a equipa atacante perder a posse de bola, então o guarda-redes de cabo da equipa defensora poderá regressar imediatamente à baliza.

13.11.5          Se o guarda-redes extra está em jogo e o guarda-redes de cabo faz defesa, é considerado golo. As regras normais da marcação de golos são aplicadas neste caso.

13.11.6          O guarda-redes extra deve manter-se suficientemente afastado do campo quando não está em uso.


      

 


Substituições e Lesões

Se uma figura se danifica durante o jogo, poderá ser retirada e composta.

O árbitro deve tomar nota do “tempo da lesão” e proceder a desconto de tempo, se necessário. Alternativamente, as figuras danificadas poderão ser substituídas.

Apenas duas substituições serão permitidas durante o jogo. Os guarda-redes não estão sujeitos a esta Regra e poderão ser substituídos em qualquer altura.

 

 


"Shoot-Out"

15.1.      Se no final do prolongamento, o jogo se mantiver empatado e seja necessário o apuramento de um vencedor, terá ligar um “shoot-out”. é escolhida uma das áreas de remate e cada equipa tem direito a um remate das seguintes cinco posições sobre a linha de remate:

15.1.1.     Onde a linha de remate toca a linha lateral do lado esquerdo do campo;

15.1.2.     Onde a linha de remate toca a linha lateral do lado esquerdo do campo:

15.1.3.     Na projecção da linha limite esquerda da grande área.

15.1.4.     Na projecção da linha limite direita da grande área.

15.1.5.     Na projecção da marca de grande penalidade, no centro da linha de remate.

15.2.      O guarda-redes não necessita ficar sobre a linha de golo, mas as restantes regras do guarda-redes são aplicadas.

15.3.      Os remates à baliza serão controlados pelo árbitro e deverão ser aplicados os seguintes critérios:

15.3.1.     O árbitro escolherá a baliza a ser usada.

15.3.2.     Todas as figuras excepto o guarda –redes e as figuras que irão ser usadas no “shoot-out”, deverão ser colocadas dentro do círculo central.

15.3.3.     Um sorteio por moeda ao ar decidirá qual a equipa a efectuar os remates em primeiro lugar. A equipa deverá executar os cinco remates seguidos; só depois a outra equipa efectuará os seus remates.

15.3.4.     Antes do remate ser efectuado, o guarda-redes anunciará que está preparado e só depois o árbitro mandará fazer o remate que deverá ser executado sem perdas de tempo. A equipa que marcar mais golos será a vencedora. Recargas ao golo pela figura atacante, depois da defesa do guarda-redes, não são consideradas.

15.4.      Se no final ainda se mantiver o empate, a cada equipa efectuará um igual número de remates da posição 15.1.5 até que se apure o vencedor. Estes remates serão feitos alternadamente e apenas um de cada vez.



 © 2006 [André Luís Góis Fonseca]

Comments